Francisco Albano Boscatto

"Há duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens."

Textos


INSÔNIA NA ESCURIDÃO



Noite a dentro e pessoas estão a relaxar
E eu aqui na minha mesa fico a meditar
Sono para uns e insônia para outros
E eu sou daqueles que o sono se esvai e parte

Fico a perguntar a mim mesmo
O que acontece no meu metabolismo
Onde estás que não me atinges
E este me responde, estou aqui vendo teu corpo fraquejar

Procuro em vão enfrentá-lo, mas, minhas forças estão no limite
E procuro escrever, tentando colocar em palavras o que sinto
Não sinto, não enxergo, não medito, só penso no sono profundo
E este faz de mim um fantoche ambulante

Peço que me acalente
E me mostre o caminho, e ele aponta
Para a cama do prazer
Caio nela desfalecido para com o sono me
refaz
er
Francisco Albano Boscatto
Enviado por Francisco Albano Boscatto em 02/03/2007
Alterado em 04/03/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://www.franciscoalbanoboscatto.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras