Francisco Albano Boscatto

"Há duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens."

Textos


O TEMPO
 
TEMPO ME PERDOE
PELAS VEZES QUE FALHEI
QUANDO EU CALEI E DEVIA FALAR
QUANDO FALEI DEMAIS E DEVIA SILENCIAR
QUANDO BRIGUEI E DEVIA AMENIZAR
QUANDO CAMINHEI E DEVIA CORRER
QUANDO CORRI E DEVIA ANDAR
QUANDO ODIEI E DEVIA AMAR
QUANDO ME APRESSEI
DEIXEI DE SENTIR O TEU SABOR!
MAS, TEMPO APRENDI COM VOCÊ
DISSERAM-ME, QUE VOCÊ SEMPRE NOS TRAS COISAS BOAS
MESMO QUE AOS NOSSOS OLHOS SEJAM RUINS.
PORQUE A TUA PACIÊNCIA E TUA TRANQUILIDADE FAZ O NOSSO DESTINO ENTRAR EM AÇÃO.
ESTE PODER SER LINDO SE ABRIRMOS O CORAÇÃO
A VIDA SEMPRE NÓS DÁ UMA SEGUNDA CHANCE! ELA DEIXA A PORTA ENCONSTADA PARA PODERMOS ENTRAR E VIVER.
 
Poseia feita por minha querida filha Letícia Arraldi Boscatto
Francisco Albano Boscatto
Enviado por Francisco Albano Boscatto em 26/08/2010
Alterado em 01/02/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://www.franciscoalbanoboscatto.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras